Blog do Eloi Zanetti – Consultoria, Palestras e Artigos de Marketing, Criatividade e Vendas

Blog do publicitário e escritor Eloi Zanetti. Consultoria, palestras, artigos e tudo o que você precisa saber sobre marketing e vendas. Curitiba – PR | Rua Senador Saraiva 78 | Telefone 3026-0222

  • RSS
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • E-mail
Office Boy - Coca-Cola Norman Rockwell

Um dos quadros desaparecidos de Rockwell

Pioneira no conceito de que marcas se constroem por meio da contação de histórias, a Coca-Cola, que já inventou a história da fórmula secreta, do Papai Noel em roupas vermelhas e tantas outras, requenta uma velha e saborosa história. Saiu à procura e divulga a quem interessar possa que quer recuperar três quadros que Norman Rockwell fez para algumas das suas propagandas imortais.

Norman Rockwell, na minha opinião, foi um dos melhores ilustradores do mundo e soube como ninguém retratar o espírito americano da sua época.

Pinturas de Rockwell

Coca-Cola procura Norman Rockwell

A Coca-Cola lançou uma campanha para localizar três pinturas a óleo de Norman Rockwell que ela encomendou ao famoso ilustrador nas décadas de 1920 e 1930, que desde então estão desaparecidas. Em 1928, Rockwell já era um ilustrador bastante conhecido, famoso pelas capas que fazia para a revista “Saturday Evening Post”, quando a Coca-Cola o contratou para criar vários cartazes e anúncios com calendários.

Na época, o processo publicitário funcionava assim: um artista elaborava uma pintura a óleo e a enviava para a Coca-Cola, que então a encaminhava para uma gráfica para ser transformada em um cartaz ou anúncio impresso. Terminado este processo, a gráfica devolvia a obra original para a empresa.

Rockwell era tão conhecido que às vezes suas obras sumiam. Ele completou seis pinturas para a Coca-Cola. Apenas uma delas, “Out Fishin'”, a empresa conseguiu manter no acervo. Nos últimos tempos mais duas voltaram para a Coca-Cola graças aos descendentes das pessoas que as surrupiaram originalmente. Uma delas, “Carry Me Back to Old Virginny”, foi levada para casa por um funcionário; seus netos a devolveram. “A segunda obra surgiu do nada”, diz Ryan. “O neto do presidente da companhia que imprimiu o calendário nos chamou e disse: ‘Temos uma pintura aqui que acreditamos ser original’.”

As pinturas estão valendo hoje entre US$ 400 mil a US$ 600 mil cada.
Das três pinturas ainda desaparecidas, duas são propagandas impressas e uma ilustrou um calendário. Historiadores da empresa vêm procurando em coleções de museus, catálogos de leilões de arte e nos arquivos oficiais de Rockwell, mas até agora não encontraram nada.

“A Coca-Cola preza muito sua herança”, diz Ted Ryan, diretor do patrimônio histórico da Coca-Cola. “Na década de 1960 fomos uma das primeiras companhias a estabelecer arquivos corporativos e hoje temos entre 2.000 e 3.000 peças de pinturas a óleo originais sobre a Coca-Cola em nossa coleção. Mas, de alguma forma, três delas conseguiram sumir.”

Você poderá gostar também de:

  • jô bibas

    Não sou chegada em Coca-Cola, mas totalmente fã do Norman Rockwell. Ver um original dele deve ser o máximo!

  • Jaque Almeida

    As obras de Norman Rockwell para a Coca-Cola fazem com que a marca realmente faça parte da realidade encantadora de sua época. Adorei.