Blog do Eloi Zanetti – Consultoria, Palestras e Artigos de Marketing, Criatividade e Vendas

Blog do publicitário e escritor Eloi Zanetti. Consultoria, palestras, artigos e tudo o que você precisa saber sobre marketing e vendas. Curitiba – PR | Rua Senador Saraiva 78 | Telefone 3026-0222

  • RSS
  • Linkedin
  • Facebook
  • Twitter
  • E-mail

Archive for the ‘Carreira’ Category

Com o encurtamento da noção de tempo sobre a maturação natural das coisas e dos saberes humanos, observo nas faculdades e nas empresas, jovens ansiosos a respeito das suas carreiras tentando freneticamente cortar caminho na escalada aos postos de diretoria. Pretensão justificada, mas inócua.




Vivemos mergulhados em histórias e nem nos damos conta disso. Há muito tempo pesquiso a força das histórias na construção e defesa de marcas. Tenho batido e rebatido este assunto em minhas palestras e em vários artigos.







Quando cuidava da comunicação do Bamerindus, vivia dizendo aos meus auxiliares: “É preciso mostrar que existe vida inteligente aqui na Rua Mauá” – endereço da agência. Era a minha maneira de estimular a equipe a pensar por conta própria e não me trazer problemas que eles próprios deveriam resolver. A fórmula se mostrou correta, os trabalhos realizados pela equipe repercutem até hoje. Mudei de empresa e carreguei o mesmo procedimento – “Precisamos provar que existe vida inteligente… blá, blá, blá.”







É incrível como gerentes e diretores comerciais fazem ouvidos moucos àqueles que ajudam a vender os seus produtos. Representantes comerciais e vendedores, por estarem na linha de frente, vêem e sabem muito. Recebem críticas e sugestões sobre os produtos e serviços da empresa a todo instante, tentam repassar para a empresa e esbarram na arrogância de quem está no comando. O sistema de vendas da maioria das empresas funciona assim: “Faça o que eu digo, me obedeça, se não…”







Adoro esse exercício. Faço nas empresas conduzindo os funcionários a dizerem as suas Cinco Regras de Ouro para o próximo ano. Também dizem as cinco coisas que não irão fazer mais. Depois de editado vai para um cartão ou fica no crachá, que é para se lembrarem sempre das suas resoluções. Na última sexta-feira fui convidado a voltar a uma empresa e falar aos operários que receberiam seus novos crachás naquele dia.







Empresas crescem, sofisticam-se e a diretoria começa a se afastar dos seus velhos amigos e bons clientes. Justamenteaqueles que lhes deram força e ajudaram a crescer. A ausência “dos donos” nos pontos de vendas e nas atividades básicas, porque estão preocupados com “coisas mais importantes” promove o afastamento dos seus clientes mais fiéis.







Um amigo, bom negociante, me disse um dia: “Elói, peça sempre. Se o outro lado não lhe der nada, ele fica, ao menos, de vendo uma obrigação”. Já o meu pai tinha um aforismo contrário e, acredito, errado para os dias atuais: “Não peça favores, quem deve favor perde a liberdade”. Pedir com eficiência é uma arte para poucos, o sujeito já nasce pi dão. Não há o ditado “quem não chora não mama”?







Nenhum trabalho de marketing ou comunicação bem feito e perene pode ser elaborado sem que antes seja precedido do levantamento inicial de um bom conceito – a idéia principal – que deve ser muito bem pensada e exaustivamente trabalhada.